Foto: Divulgação

Como prometido em seu discurso de posse, no dia 1º, o governador Renato Casagrande (PSB) cancelou os convênios firmados na gestão do ex-governador Paulo Hartung nos últimos três meses. Os convênios já haviam sido alvos de críticas de membros da equipe de transição, hoje no secretariado do governo, que chegaram a acionar o Tribunal de Contas do Estado (TCE).

A decisão foi publicada no Diário Oficial desta quarta-feira (2), juntamente com outros decretos reduzindo despesas da máquina pública, sem, no entanto, afetar a prestação de serviços oferecidos à população. Os anúncios também foram feitos pelo governador nesta manhã de dois de janeiro, na sua primeira reunião de trabalho no Palácio Anchieta, quando deu posse aos secretários.

Pelos decretos, estão proibidos a realização de eventos com coffee break, passagens aéreas, pagamentos de diárias e ainda o uso dos contratos de telefones celulares (os secretários deverão usar seus próprios aparelhos).

As medidas valem pelos próximos quatro meses, até o governo tomar pé da situação, e serão coordenadas por uma comissão de gastos formada pelos secretários da Fazenda, Rogério Pegoretti, Controle e Transparência, Edmar Camata, Planejamento, Álvaro Duboc, e de Governo, Tyago Hofman, que fez uma explanação sobre a necessidade das medidas adotadas.

Os decretos seguem a linha de governo anunciada por Casagrande quando foi empossado no cargo, no dia 1º do mês. “O cenário é de incertezas”, disse em seu discurso, e reafirmou a necessidade de realizar uma administração com cautela, em 2019, período em que pretende ter uma visão mais ampla de como se encontram as finanças estaduais e o nível de relacionamento com o governo federal.

O governador afirmou que já manteve contato com o presidente Jair Bolsonaro (PSL) e sua equipe e irá cobrar as obrigações da União para com o Espírito Santo.