A brincadeira da vez nas redes sociais é o desafio dos 10 anos – ou o #10yearschallenge, traduzindo para a linguagem das hashtags. A corrente se baseia na comparação de fotos pessoais atuais e de 10 anos atrás.

E os carros não ficaram de fora. O G1 selecionou alguns modelos do mercado brasileiro para participarem do desafio. Eles foram separados em dois grupos: os que mudaram muito e os que ficaram (quase) com a mesma cara.

O critério? Basta que eles já existissem em 2009 e continuem à venda em 2019. Não é o caso de Chevrolet Onix, Hyundai HB20 e a grande maioria dos SUVs.

Eles mudaram muito

Desafio dos 10 anos: Ford Ka — Foto: Divulgação

O Ford Ka deixou de ser um subcompacto popular de duas portas para apostar no segmento dos hatches de entrada. Atualmente, além da opção com câmbio automático, ele tem ainda a versão sedã – fora de qualquer cogitação há 10 anos.

Desafio dos 10 anos: Chevrolet Prisma — Foto: Divulgação

O sedã mais vendido do Brasil nem sempre teve tecnologias de segmentos superiores e até câmbio automático. Em 2009, o Chevrolet Prisma ainda fazia parte da espartana família Celta.

Desafio dos 10 anos: Toyota Corolla — Foto: Divulgação

Sedã médio mais vendido do país, o Toyota Corolla mudou bastante para tentar afastar o jeito de “tiozão” das gerações passadas e se aproximar do visual mais esportivo do Honda Civic.

Desafio dos 10 anos: Ford EcoSport — Foto: Divulgação

Há 10 anos, o Ford EcoSport estava na segunda fase da primeira geração e reinava absoluto no segmento ainda vazio dos SUVs compactos. Hoje, também na segunda fase, mas da segunda geração, o precursor da categoria está longe da primeira colocação do ranking.

Desafio dos 10 anos: Chevrolet S10 — Foto: Divulgação

Assim como todas as demais picapes, a Chevrolet S10 evoluiu em estilo para ficar mais próxima dos automóveis, com direito a versões de apelo “esportivo” como a Midnight.

Desafio dos 10 anos: Volkswagen Polo — Foto: Divulgação

O Volkswagen Polo é um caso de morte e ressurreição. Ele saiu de linha no Brasil em 2015 por estar defasado em relação ao europeu – estávamos uma geração atrás do Velho Continente. No final de 2017, o modelo retornou alinhado com a Europa e, em 2018, apareceu como um dos carros mais vendidos do país.

Eles não mudaram quase nada

Desafio dos 10 anos: Volkswagen Gol — Foto: Divulgação

Quando chegou à terceira geração (popularmente chamada de G5) em 2008, o compacto revolucionou o mercado pela concepção moderna. Mas o tempo passou e o Volkswagen Gol permanece quase o mesmo – de lá para cá, ganhou algumas atualizações pontuais no visual e câmbio automático.

Desafio dos 10 anos: Fiat Strada — Foto: Divulgação

Neste caso, até um desafio de 20 anos daria certo. A Fiat Strada é basicamente o mesmo carro desde 1998, quando foi lançada no Brasil. Foram 5 mudanças significativas no visual, mas em 2009 a picape já trazia a mesma cara que mantém até hoje.

Desafio dos 10 anos: Mitsubishi Pajero Full — Foto: Divulgação

A quarta e atual geração do maior SUV da Mitsubishi foi apresentada mundialmente em 2006. A marca engavetou planos de desenvolver um novo Pajero Full, mas nenhuma decisão concreta foi tomada até hoje e ele segue sem mudanças significativas.

Desafio dos 10 anos: Fiat Weekend — Foto: Divulgação

A perua emancipada do Fiat Palio passa pela mesma situação da Strada, ou até pior. Ela mantém o mesmo projeto desde 1997, também com seguidas reestilizações. Um dos pontos que denunciam a idade da Weekend é o posicionamento das saídas de ar, muito baixas, como há 22 anos.

Desafio dos 10 anos: Volkswagen Fox — Foto: Divulgação

O compacto teve apenas uma geração e três reestilizações em toda sua vida. Apesar da tentativa de aproximação do “irmão maior” Golf, as maiores diferenças ficaram para o interior. Por fora, o Volkswagen Fox de 2019 ainda lembra muito seu antepassado de 10 anos atrás.

Desafio dos 10 anos: Dodge Journey — Foto: Divulgação

Os 10 anos que se passaram deram ao Dodge Journey apenas para-choques redesenhados, lanternas com novo arranjo interno e interior com linhas mais arredondadas por influência da italiana Fiat. No mais, ele permanece praticamente o mesmo sem data para sair de linha ou ganhar uma nova geração.