Os motoristas das regiões Norte e Noroeste do Espírito Santo enfrentam dificuldades para se adequarem ao novo modelo de placa no modelo Mercosul, que está em vigor no Estado desde a última segunda-feira (10), pois há poucas estampadoras credenciadas para realizar o serviço. Muitos terão que viajar por até 1h45 para conseguir o emplacamento, porque não há para empresa habilitada para realizá-lo em sua cidade.

Na região Norte do Estado, somente uma estampadora de placas, localizada em Linhares, está habilitada para realizar o serviço. Já no Noroeste, existem cinco estampadoras que estão nos municípios de Colatina, Santa Teresa, Nova Venécia, São Gabriel da Palha e Barra de São Francisco.

1,5 de viagem é o tempo que um motorista de Mucurici leva até Nova Venécia para emplacar o carro.

Se um motorista de Mucurici, no Norte, precisar emplacar um veículo, gastará 1h45 para ir até o credenciado mais próximo localizado em Nova Venécia, no Noroeste do Estado. Já alguém de Alto Rio Novo, deverá procurar um credenciado em São Gabriel da Palha ou Colatina e, para isso, gastará cerca de 1h30. O motorista de Conceição da Barra precisará se deslocar até Nova Venécia e deverá gastar aproximadamente 1h25.

Inicialmente a obrigatoriedade do uso da placa será para veículos novos e aqueles que necessitarem passar por procedimentos de transferências.

Além de das poucas empresas disponíveis, despachantes de veículos credenciados pelo Detran reclamam da burocracia e da demora no emplacamento. Antes, o profissional poderia fazer todo o processo e já entregar o carro pronto para o motorista ou concessionárias. Agora, as estampadoras serão as responsáveis por aplicarem as placas e o despachante só poderá fazer esse serviço se tiver um contrato com alguma delas.

Padrão Mercosul de placas de carros começa a valer no Espírito Santo

O proprietário do veículo ainda poderá contratar um despachante ou um terceiro que será o responsável por ir ao Detran, solicitar a abertura do processo e assinar um contrato com a estampadora para obter a instalação da nova placa.

O despachante Levino Schulz disse que emplacou somente três veículos com a nova placa e outros 22 carros estão na espera. “Um processo que a gente concluía em média em duas horas, hoje passou a ter a demora de até cinco horas, porque tem que haver a disponibilidade do cliente também”, disse.

DETRAN

Sobre a pouca disponibilidade de estampadoras, o Detran orientou que, por enquanto, os proprietários de veículos se dirijam a estampadores localizados nos municípios mais próximos.

Detran destacou que, antes de iniciar a implantação do padrão Mercosul, realizou reuniões com o sindicato dos despachantes. O órgão ressalta, ainda, que o despachante poderá fazer a afixação da placa, desde que possua relação contratual com alguma estampadora.

Administração pública cobra, mas precisa se moderniza

O Detran informou que já está sendo implementada uma adequação na rotina operacional para que, em alguns casos, as placas sejam enviadas para as agências do órgão e afixadas nos veículos pelos servidores, enquanto não existir representante de estampadora no município.

A lista de empresas aptas a atuarem como estampadoras de placas no Espírito Santo está disponível no site do Detran (www.detran.es.gov.br/estampadores-de-placas).

As novas placas têm QR Code e marca d’água, que evitam a falsificação e praticamente impossibilitam a clonagem. O Brasil é o terceiro país do Mercosul a adotar o padrão.