Com o primeiro dia de greve dos rodoviários, muitos capixabas tiveram que colocar os carros na rua nesta segunda-feira (3). Com isso, vários pontos da Grande Vitória registraram congestionamentos durante a manhã.

Os acessos à capital pela Segunda Ponte ou pela Cinco Pontes foram os mais afetados com retenção e grande fluxo de veículos. Quem seguiu para Vitória, de Vila Velha, pela Terceira Ponte, encontrou fluxo intenso de veículos.

Também foram registradas retenção em outras avenidas de Vitória, como a Saturnino de Brito, na Praia do Canto, a Fernando Ferrari e a Praia de Camburi.

Greve

Os trabalhadores do transporte rodoviário da Grande Vitória entraram no primeiro dia de greve nesta segunda-feira (3). Os rodoviários solicitaram um reajuste de 4% mais a inflação nos salários e no tíquete de alimentação, além de plano de saúde. Entretanto, o Setpes e o GVBus oferecem uma contraproposta de reajuste de 3% no salário dos trabalhadores, que não foi aceita.

Neste domingo (2), o desembargador José Luiz Serafini deferiu parcialmente o pedido de liminar do GV-Bus e do Setpes determinando que o Sindirodoviários mantenha 70% da frota dos ônibus circulando durante os horários de pico, das 6h às 9h e das 17h às 20h. Nos demais horários, a liminar impõe que 50% da frota esteja nas ruas. A decisão vale para todas as linhas e itinerários. O descumprimento da liminar, ainda que parcial, acarretará multa diária de R$ 200 mil.

Segundo a Ceturb, 1.426 ônibus fazem parte do Sistema Transcol. Nesta greve, pelo menos 897 devem circular na Grande Vitória nos horários de pico. Durante a manhã, nos principais terminais da região metropolitana houve reclamações sobre atrasos de até 30 minutos. A maior dificuldade foi nas linhas alimentadoras, que passam dentro dos bairros.

Negociação

Uma nova audiência de conciliação entre rodoviários e empresas foi marcada para acontecer às 13h desta segunda-feira. A rodada de negociação ocorre no no Tribunal Regional do Trabalho do Estado (TRT-ES), em Vitória.