O Departamento de Trânsito do Espírito Santo (Detran-ES) abriu, nesta sexta-feira (28), processos administrativos contra oito auto escolas de Vargem Alta e Cachoeiro de Itapemirim, no Sul do Espírito Santo, e em Vila Velha, Cariacica e Serra, na região metropolitana, por fraudes na aplicação das aulas de direção e podem ser descredenciadas.

De maio a setembro deste ano, o Detran invalidou 75 mil aulas práticas por ter sido identificadas fraudes no sistema de telemetria, que registra o que acontece nas aulas por fotos.

Os candidatos aprovados no exame prático podem perder a habilitação se ficar comprovada a fraude.

De acordo com o diretor do Detran, Romeu Scheibe Neto, os Centros de Formação de Condutores (CFC) serão descredenciadas e os casos serão repassados para a Polícia Civil, porque é crime inserir dados falsos em base de dados do governo.

“Quando a corregedoria concluir esse procedimento, muito provavelmente essas autoescolas sofrerão o descredenciamento cautelar. O CFC para de prestar o serviço até que o processo aconteça”.

Fraudes

As investigações apontam que uma única autoescola de Vargem Alta teria fraudado 150 aulas, que foram canceladas pelo Detran. Cinco alunos que já tinham feito prova tiveram que voltar para as aulas.

“O aluno precisa cobrar e desconfiar quando o CFC cobra um preço que não está compatível com o de mercado”, conta o diretor.

Telemetria

O sistema de telemetria foi instalado porque antes os Centros de Formação de Condutores (CFCs) tinham autonomia no sistema do Detran.

Segundo o presidente do Sindicato das Autoescolas do Estado (Sindiauto-ES), Anderson da Silva Perozin, uma situação que acontecia muito era o instrutor dar duas ou três aulas, marcar prova e registrar que havia dado 25 aulas.

Com a implantação do sistema, antes de cada aula o instrutor tira uma foto, em um tablet, dele e do aluno. Depois, uma câmera instalada no carro começa a fotografar a aula. São tiradas cinco fotos aleatórias durante os cinquenta minutos.

Esquema

Mas mesmo com o sistema, instrutores e alunos ainda tentam dar um jeito de burlar os registros para não terem que cumprir o cronograma exigido. Em quatro meses de funcionamento, o Detran já identificou tentativas.

Em um dos casos, uma foto mostra o aluno dormindo no meio da aula de trânsito. Em outro veículo, o aluno fica parado durante toda a aula. Nos dois casos, os instrutores não estavam presentes.

Flagrantes de aluno mexendo ao celular e outro dormindo: nos dois casos não há instrutor no veículo — Foto: Reprodução/Videomonitoramento
Flagrantes de aluno mexendo ao celular e outro dormindo: nos dois casos não há instrutor no veículo — Foto: Reprodução/Videomonitoramento

Além das fotos, o sistema também envia dados de velocidade, distância percorrida e duração da aula: tudo com o objetivo de garantir que os alunos e auto escolas estão cumprido a carga horária de 25 aulas práticas.