A greve dos caminhoneiros, que começou no início desta semana, pode prejudicar o abastecimento de água no Espírito Santo, informou a Cesan nesta sexta-feira (25).

De acordo com a Companhia, as estações de tratamento de água funcionam normalmente, no entanto, a situação é de alerta.

A Cesan informa que, por enquanto, a produção de água tratada está dentro da normalidade. Mas, devido à greve de caminhoneiros, há dificuldade de entrega de produtos químicos para tratamento da água. Solicitamos à população economizar e evitar o desperdício“, diz a nota.

À beira de uma pane

À beira de uma pane seca nos postos de combustíveis, a Justiça Federal determinou que manifestantes liberassem caminhões-tanque nas rodovias federais do Espírito Santo, onde ainda há 15 pontos de bloqueio. A greve dos caminhoneiros chegou ao fim do quinto dia, nesta sexta-feira (25), com impactos em postos de combustível, supermercados e aeroporto.

Nesta tarde (25), o Governo do Estado anunciou que tem um plano de ação com uso de forças estaduais, como as polícias Militar, Civil e o Corpo de Bombeiros para garantir o acesso da população aos produtos essenciais para a sobrevivência, se necessário. Para garantir o abastecimento de ambulâncias, viaturas e ônibus, a Polícia Militar fez a escola de caminhões-tanque. No aeroporto de Vitória, não há mais combustível.

Veja os principais reflexos da paralisação no estado:

Combustível

Os postos estão perto de ficar sem nenhum combustível, alertou o Sindicato do Comércio Varejista de Derivados de Petróleo no Estado do Espírito Santo (Sindipostos-ES) nesta sexta-feira (25).

Pela manhã, a maioria dos postos não tinham mais gasolina e amanheceram fechados, com cones e telas de proteção. Em outros, os motoristas entravam, mas logo recebiam a notícia de que não havia nenhum combustível. Nas poucas unidades onde ainda havia combustível, motoristas enfrentaram longas filas.

Alimentos

Por causa da dificuldade de abastecimento, os preços de alguns produtos alimentícios subiram mais de 100%. Nas Centrais de Abastecimento do Espírito Santo (Ceasa), o saco de batata, que antes da paralisação custava em média R$ 80, agora está sendo vendido a R$ 180.

Nas feiras livres, algumas barracas nem foram abertas e, nos supermercados, os consumidores já sentem no bolso os efeitos da greve. O corretor de imóveis José Augusto Peixoto disse que ficou assustado ao ver a situação de dois grandes supermercados de Guarapari.

“A parte de hortifruti desses dois é maravilhosa, sempre tudo muito limpo, arrumado, dá gosto de ir, é sempre muito completo. Mas hoje foi assustador, nunca tinha visto. Nunca vi uma banca daquela vazia, e hoje devia ter umas oito vazias. Não tinha nada. É preocupante”, disse.

Água

A Cesan pediu para que a população do Espírito Santo economize água durante a greve dos caminhoneiros, já que a entrega de produtos químicos para tratamento está sendo prejudicada.

Por enquanto, segundo a Cesan, a produção de água tratada está dentro da normalidade e não há risco de desabastecimento.

A cobrança da tarifa de esgoto cobre os custo da coleta e tratamento, a exemplo da ETE de Mulembá (Foto: Divulgação/ Cesan)

A cobrança da tarifa de esgoto cobre os custo da coleta e tratamento, a exemplo da ETE de Mulembá (Foto: Divulgação/ Cesan)

Transporte público

Os ônibus circularam normalmente nesta sexta-feira. No fim de semana e nos dias seguintes, as empresas vão operar respeitando os horários de sábado e domingo.

Aeroporto

A Infraero informou que o combustível no Aeroporto de Vitória se esgotou no início da tarde desta sexta-feira (25). Pelo menos seis voos, sendo três de chegada e três de partida, foram cancelados.

Rodovias

Segundo a Polícia Rodoviária Federal (PRF), 15 pontos das rodovias federais do Estado ainda estão bloqueados:

BR-101

  1. Km 137 – Linhares
  2. Km 159 – Bebedouro, Linhares
  3. Km 204 – João Neiva
  4. Km 214 – trevo de acesso a Aracruz, Ibiraçu
  5. Km 285 – Rodovia do Contorno, em Cariacica
  6. Km 304 – trevo com a BR-262, em Viana
  7. Km 376 – Iconha
  8. Km 414 – Safra, Itapemirim

BR-262

  1. Km 95 – Fazenda do Estado, Pedra Azul
  2. Km 156 – Ibatiba

BR-259

  1. Km 46 – Colatina
  2. Km 51 – Colatina
  3. Km 100 – Baixo Guandu

BR-447

  1. Km 13,7 – trevo de acesso ao porto de Capuaba, em Vila Velha

Rodoviárias

As empresas Águia Branca, Itapemirim e Kaissara informaram que houve cancelamentos de determinadas viagens no Espírito Santo com realocação de passageiros.

Porto

A Companhia Docas do Espírito Santo (Codesa) informou que os caminhoneiros bloquearam a entrada do Porto de Capuaba, em Vila Velha, na Grande Vitória, desde a madrugada da quinta-feira (24). Desde então, as operações do porto estão paralisadas.

Protesto nacional

Os caminhoneiros fazem manifestações em todo o país. Os atos dão continuidade à mobilização contra a disparada do preço do diesel, que faz parte da política de preços da Petrobras, em vigor desde julho de 2017.

Na noite de quinta-feira, o governo federal e representantes dos caminhoneiros anunciaram proposta para suspender a greve por 15 dias.

Em pronunciamento na tarde desta sexta, o presidente Michel Temer disse que acionou forças federais para desbloquear as estradas.

Barra de São Francisco

A manifestação iniciada na última terça-feira, 22 de maio de 2018, continua firme em Barra de São Francisco. Na tarde desta sexta-feira, 25 de maio de 2018, Mazinho do Hospital esteve no local e conversou com os manifestantes.

Os caminhoneiros estão paralisados na saída para Mantena e não têm data para voltar a rodar. Sobre a proposta de acordo do governo, os caminhoneiros não reconhecem. “Quem conversou com o governo não nos representa. Esse acordo não favoreceu ninguém até agora. A paralisação está forte e vai continuar“, disse Rafael.

A luta dos caminhoneiros é contra o aumento semanal no preço dos combustíveis. “O preço correto do Diesel é R$ 3,00. Nenhum caminhão vai sair daqui“, garantiu Rafael. (veja vídeo abaixo)

Caminhoneiro há 37 anos, Célio Corte, conversou com o SiteBarrae falou das dificuldades enfrentadas pela categoria. Veja no vídeo abaixo

Fila em postos da cidade

Nesta quinta-feira, 24 de maio, muitos francisquenses formaram grandes filas nos postos de combustíveis de Barra de São Francisco para abastecer.

Em alguns postos já falta combustível. Há preocupação também de falta de alimento, caso continue a paralisação, já que nenhum caminhão está passando pelas manifestações, que acontecem em todo o Brasil.

Veja também

Motoristas fazem fila para abastecer em postos de Barra de São Francisco

Caminhoneiro há 37 anos, Célio Corte fala sobre protesto contra aumento no preço do combustível em Barra de São Francisco

Filas em postos de combustíveis se estenderam até à noite em Barra de São Francisco

Caminhoneiros iniciam protestos com paralisação em Barra de São Francisco