Três mineradoras foram identificadas com irregularidades nas regiões Norte e Noroeste do Espírito Santo, durante uma fiscalização de vários órgãos competentes, que começou na terça-feira (20) e terminou nesta quinta-feira (22). Houve multa e embargo com paralisação das atividades em todas elas.

As mineradoras ficam nas cidades de Colatina, Linhares e Baixo Guandu. Duas delas não tinham licença ambiental de operação e uma não contava com a Guia de Utilização (GU), que permite a extração mineral.

As imagens feitas por funcionários do Ibama, na manhã desta quinta-feira, mostra a situação na pedreira de extração de granito em Baixo Guandu. Nas imagens é possível ver a área bastante degradada.

Entre os equipamentos apreendidos nessas mineradoras estão caminhões, pás-carregadeiras, escavadeiras e outros itens específicos da atividade de mineração, como compressores, perfuratriz e máquinas de cortar fio diamantadas.

A maior parte das mineradoras investigadas estava respeitando embargos anteriores realizados pelas equipes de fiscalização e mantêm suas atividades paralisadas.

A fiscalização foi uma ação conjunta do Instituto Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Iema), do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), do Instituto de Defesa Agropecuária e Florestal do Espírito Santo (Idaf), do Departamento Nacional de Produção Mineral (DNPM) e da Polícia Ambiental.