Um alvoroço e muita correria foi registrada no Rio Preto, distrito de Água Doce do Norte quando ocorria um velório e muitas pessoas estavam no local. De repente, quando menos esperavam, foram ouvido disparos de arma de fogo e todos que estavam no velório saíram correndo.

O fato aconteceu na Rodovia  ES 080 na última segunda-feira, 16 de outubro de 201, próximo à papelaria “Giz de Cera”.

Segundo narrativa da ocorrência Policial, o Cabo Welesson estava na varanda de sua residência quando percebeu a chegada de uma pessoa, conhecido por Nenzinho (Welington Honório Pedro Reis) e ostentava  uma arma de fogo na cintura. Welington avistou a viatura levantou da cadeira em que estava sentado em um bar e saiu correndo. Os militares que estavam na viatura começaram a perseguir Nenzinho, que adentrou em um lote cheio de entulhos com matos a árvores e ao se aproximar de um muro,  virou-se, ainda em movimento, e com arma em mãos efetuou um disparo contra os militares da guarnição, que era composta por Sargento Duarte e soldado Araújo. Em resposta, os policiais revidaram contra Welington, que não foi atingido. Os militares também não foram atingidos.

Os policiais informaram ainda que Nenzinho fez gesto de ter jogado a arma em uma propriedade do Sr. Joel Patrocínio de Oliveira, que disse que os militares entravam na sua propriedade só com ordem judicial. Nenzinho pulou o muro e rapidamente ganhou outro quintal, em área muito escura, e em seguida montou na garupa de uma motocicleta e se evadiu do local.

Os militares não localizara a arma e o Boletim de Ocorrência foi confeccionado e entregue na Delegacia de Polícia para as devidas providências.