Tribunal Regional Eleitoral (TRE-ES) (Foto: Carlos Alberto Silva/ A Gazeta)

Depois da extinção da 56ª Zona Eleitoral de Vitória, o Tribunal Regional Eleitoral confirma a extinção de outras sete no Espírito Santo.

O assessor de Planejamento Estratégico do Tribunal Regional Eleitoral (TRE-ES), Lander Fontes, disse que a medida visa redução de custos. A estimativa é de uma economia de até R$ 150 mil por zona ao ano.

As sete zonas são:

  • 29ª de Mantenópolis – Centro;
  • 31ª de Mucurici – Centro;
  • 42ª de Colatina – bairro Esplanada;
  • 45ª de Dores do Rio Preto – Centro;
  • 49ª de Presidente Kennedy – Centro;
  • 50ª de Pedro Canário – bairro Novo Horizonte;
  • 58ª de Cariacica – no trevo de Alto Lage.
Vista aérea parcial da cidade de Mantenópolis

De acordo com Lander, essas zonas já estão em fase de extinção e o estado ficará com um total de 51 zonas eleitorais. “Alguns municípios não terão mais cartórios eleitorais, mas todos pertencerão a uma zona eleitoral, mesmo que fique em outra cidade”, explicou.

O critério de extinção foi a densidade demográfica e o motivo foi econômico, pois as sete extinções vão representar menos R$ 1.050.000,00 ao ano.

Não haverá desligamentos de funcionários, o que vamos ter é uma economia com locações e com gratificação de juízes, promotores e chefias de cartório. A economia será de R$ 150 mil ao ano por zona extinta“, afirmou.

Lander explicou que os eleitores vão sentir pouco a mudança. “O eleitor não vai ter mudança nenhuma quanto ao seu local de votação e os títulos serão mudados gradativamente para que não haja transtornos”, explicou.