O Munício de Água Doce do Norte, que já foi contemplado no Edital de Cineclubismo da Secretaria de Estado da Cultura, e tendo ficado na segunda suplência do Edital de Diversidade Cultural, volta a ser contemplada em outro edital.

É que a jovem Francielly Ramos de Oliveira, moradora do Distrito de Santa Luzia do Azul, foi contemplada no Edital de Coletivos Juvenis com o Projeto “Memórias Populares”.

sitebarrabarradesaofranciscorafhael-ferreira0O objetivo do Projeto é a formação de um Grupo de Jovens em Santa Luzia do Azul por meio de atividades culturais, e estimulando a organização comunitária dos adolescentes e jovens e a sua participação como atores sociais na sociedade. Participam da Equipe do Projeto além de Francielly, os jovens Taysnara Gonçalves e Rhafael Ferreira Alves que é membro do Cineclube Olegário Martins.

Francielly nos traz um breve relato de “o por quê resolveu escrever o projeto”:

sitebarrabarradesaofranciscoda-esq-para-diretira_francielly_taysnara0“Percebo o quanto o envolvimento com a memória e a cultura contribuiu com a minha formação social e cidadã, e preocupo-me com a realidade atual de meus colegas e amigas, pois hoje aqui, não há muitas oportunidades de lazer, não há em nossa região um teatro, sala de cinema. Eu cresci participando da Festa de Santo Antônio, que teve início, com incentivo de meu finado Bisavô, Antônio Vitorino, um homem simples do campo, mas com imensa sabedoria. Ele migrou de Minas para Água Doce do Norte, como desbravador para esta região numa época difícil, quando tudo ainda era mata e aqui ajudou a fundar a Vila de Santa Luzia do Azul, depois viveu anos. Sempre foi amante da cultura popular, das fogueiras de são João e danças juninas, e também devoto de Santo Antônio. Hoje, nem sempre conseguimos realizar a Festa de Santo Antônio, por falta de recursos. Foi desta vivência familiar, que após participar do Projeto Olhares, na Escola Estadual Olegário Martins, me senti estimulada a fazer algo por minha localidade e também de dar continuidade a esta tradição popular que é realizada pelo meu Tio Antônio Vitorino Neto, com ajuda de meu pai Marcos Vitorino e de toda família. Eu penso o projeto como uma ação para potencializar o desenvolvimento social e cultural no Distrito e principalmente, reunir aos adolescentes e jovens visando o desenvolvimento da comunidade”.

sitebarrabarradesaofranciscoescola-olegario-martins0Francielly, assim como os demais jovens, participaram do Projeto Olhares – Perspectivas para o Desenvolvimento, que foi Iniciativa Parceria da Escola Olegário Martins, por meio do Programa Mais Cultura nas Escolas desenvolvido pelo Ministério da Cultura.

Segundo Luciano Guimarães, Coordenador do Cineclube Olegário e do Projeto Olhares: “É com muita felicidade que recebemos a notícia sobre o projeto da Francielly, em ver outros projetos sendo contemplados no Município, e ver esta possibilidade dos jovens se reunirem, promoverem eles por eles mesmos, atividades culturais, e contribuírem com o desenvolvimento comunitário. Vejo isto como um reflexo da atuação da Escola Olegário Martins num contexto escola/comunidade. A realização do Projeto no Município só foi possível, graças a abertura que a Escola nos deu, inicialmente com ex diretora Silvia Ferreira Vitorino, e em 2015 e 2016 com a Diretora Lucilena Rodrigues que nos apoio na continuidade do Projeto.

sitebarrabarradesaofranciscologo-projeto-olhares0O Projeto Memórias e Danças Populares recebeu apoio em sua elaboração da Escola Olegário Martins por meio da Diretora Lucilena, da Secretaria Municipal de Educação e Cultura de Água Doce do Norte com apoio da Secretária Municipal “Nilda Fernandes”, e teve também o apoio do Prefeito Municipal Paulo Márcio, por meio de Cartas de Apoio anexadas ao Projeto, contanto com a orientação técnica do Projeto Olhares, Coordenador pelo cineclubista Luciano.

O projeto irá promover atividades de formação com atividades culturais, no Distrito de Santa Luzia do Azul, promovendo a formação do senso crítico, o envolvimento com a história e memória da cultura e identidade local, reunindo os adolescentes e jovens, em atividades de dança e audiovisual, visando promover a inserção dos jovens no universo da cultura e formando jovens produtores e agentes culturais. Visando relacionar as atividades do projeto com eventos populares locais, iremos atuar na preservação cultural, com apresentações culturais do projeto, na Festa de Santo Antônio, evento cultural e popular, realizado anualmente no Distrito, que envolve toda a comunidade.

sitebarrabarradesaofranciscosanta-luzia-do-azul0

Um dos objetivos do projeto é promover nos jovens o acesso à cultura e ao lazer, bem como, formar os jovens sobre a importância da cultura no cotidiano popular, incentivando que eles assumam o papel de preservar a cultura e identidade local.

A Festa de Santo Antônio foi iniciada em meados da década de 50 pelo senhor Antônio Vitorino, desbravador, agricultor e um dos fundadores da Vila que hoje se chama Distrito de Santa Luzia do Córrego Azul. O evento foi passando para filho e agora é organizado pelo neto Antônio Vitorino Neto, contando com apoio e envolvimento da comunidade. Durante a Festa acontece apresentações musicais, e o hasteamento da Bandeira de Santo Antônio, recebendo um público diverso de diversas outros Municípios da Região e até da capital.

Leia também:

Vila Pavão e Água Doce do Norte são contempladas no Edital de Cineclubes. Conheça o projeto

Água Doce do Norte participa do V Encontro Estadual de Cineclubes.

Para este ano, está previsto, durante a Festa de Santo Antônio, apresentações culturais, espaço para exposição de artesanato regional, e apresentações do projeto Memórias e Danças Populares.

O projeto Memórias e Danças Populares irá  promover uma Oficina de Danças Populares, com Oficina de Dança e Teatro com a temática da Festa Junina e o Casamento do Jeca, aonde os jovens receberão formação sobre “Festa Junina”, e serão preparados para ensaiar uma dança de apresentação, contando ainda, com uma apresentação teatral do casamento que acontece nas festas juninas.

As festas juninas sempre foram uma tradição cultural e social no Distrito, nos idos das décadas de 70 a 90, havia um grupo de festas juninas em Santa Luzia do Azul, que além de apresentar-se na localidade, era convidado para apresentações em outros Municípios e até no Estado de Minas Gerais. Além de animar a vida comunitária, o grupo reunia muitos jovens, destaca-se que muitos daqueles jovens da década de 80, hoje são Professores ou atuam de alguma forma com formação social.

fundo-estadual-de-cultura