O Cineclube Olegário Martins, situado no Distrito de Santa Luzia do Azul EM Água Doce do Norte, surgiu por meio do Projeto Olhares – Perspectivas para o Desenvolvimento, que em parceria com a Escola Estadual Olegário Martins foi contemplado no Programa Nacional Mais Cultura nas Escolas. A Escola é a única no Município aprovada no Edital Nacional Mais Cultura nas Escolas concorrendo com mais de 10.000 inscrições de todo Brasil.

O Projeto realizou em 2014,uma Oficina de Formação de Formação Cineclubista que originou na criação do Cineclube e uma Oficina de Produção Audiovisual que resultou na produção de um longa-metragem em suporte digital, o “Entre Montanhas” que tem circulado em exibições da comunidade e participará da “Mostra de Audiovisual Olhares” a ser realizada dia 06 de julho no Metrópoles, na Universidade Federal do Espírito Santo.

SiteBarra+Barra+de+Sao+Francisco+13334681_1169838606382153_1877441344_o0

Tendo iniciado a sua segunda etapa agora em maio de 2016, com exibições de filmes na comunidade, novas produções de audiovisual, e a produção da Tv Ensino Médio com os alunos, o Cineclube já ganha destaque com a participação no V Encontro Estadual de Cineclubes realizado entre os dias 26 e 29 de maio de 2016, o encontro marcou o processo de organização do Movimento Estadual de Cineclubes contanto com entorno de 30 cineclubes de todas as Regiões do Estado. Participaram do evento representando o Cineclube Olegário Martins Rhafael Ferreira e Michelle Alves, juntamente com o idealizador do Projeto Olhares e cineclubista Luciano Guimarães de Freitas.

SiteBarra+Barra+de+Sao+Francisco+13342160_1169837386382275_2061960992_n0O idealizador do Projeto nos relata que: “ possibilidade de encontro das pessoas é um espaço de formação, o diálogo de ideias, é algo positivo no desenvolvimento tanto social, quanto cultural e também político do País. Chegamos a uma época em que o diálogo é fundamental para desconstrução das intolerâncias. Vejo que novamente, assim como sempre, a escola tem um papel fundamental no desenvolvimento da democracia, do conhecimento de direitos e deveres, e na formação de jovens para participarem dos processos de desenvolvimento, desde o comunitário, e mesmo o processo de desenvolvimento da cidadania. E sim, o audiovisual, que proporciona além do resgate da memória, preservação das culturas, dá uma rica contribuição a estes aspectos.”

O Cineclube é uma organização de pessoas que se unem para a apreciação filmes de forma coletiva. O caráter democratizante e participativo é inerente as várias etapas desta atividade. O Cineclubista Hermano Figueiredo do Cineclube Ideário de Alagoas no Filme “O que é cineclube”,relata que a prática cineclubista é um mangue do cinema brasileiro, espaço de onde sai o espectador crítico, o jovem realizador, o crítico de cinema e, assim, contribui para a renovação e reoxigenação do audiovisual brasileiro.

Segundo o Cineclubista “Felipe Macedo”, ao conceituar o cineclubismo, declara:

“O dicionário define cineclube como uma associação que reúne apreciadores de cinema para fins de estudos e debates. A participatividade se dá desde a escolha dos filmes, no esforço conjunto para o acesso às obras, bem como para a viabilização das condições para a exibição. O cineclube é também um lugar de formação do senso crítico, é um espaço para discussões sobre o audiovisual, o que vai dar em discussões mais amplas de temas como o direito à diversidade cultural, democratização e acesso a novas tecnologias a este movimento. ”

SiteBarra+Barra+de+Sao+Francisco+13340626_1169838809715466_83822716_o0

Em Santa Luzia do Azul as atividades têm a sua origem no Projeto Olhares – Perspectiva para o Desenvolvimento, que se iniciou no Município de Águia Branca por meio do Cineclube Eco Social, e hoje se estende ao Município de Água Doce do Norte por meio de parceria com a Escola Olegário Martins pelo Programa Mais Cultura nas Escolas.

O Cineclube Escola surge com objetivo de agregar o audiovisual aos processos pedagógico da escola, promover uma rica relação comunitária entre a escola e a comunidade, e promover o acesso ao cinema e a formação do olhar dos adolescentes e jovens. A partir do momento de encontro para ver um filme e refletir sobre ele, torna-se um caldo para várias outras ações.

Segundo, Luciano Guimarães de Freitas, idealizador do Projeto: “Estamos trazendo para Santa Luzia do Azul as diversas atividades que já realizávamos no Município de Águia Branca, e partir desta atividade do Cineclube, pretendemos dar início a várias outras atividades, como dança de salão, dança de rua, pintura, violão, produção audiovisual, teatro, grafite, sarais de poesia e outras diversas atividades culturais, pretendemos contribuir para o desenvolvimento comunitário e atender desde crianças e adolescentes, até a promover atividades voltadas para a terceira idade.”

“O Cineclube hoje, assume um papel na sociedade, quando reúne pessoas para discutir e debater ideais, de suas ações, surge movimentos comunitários, mudanças de comportamento diante das realidades. Em Santa Luzia, temos promovido um resgate da memória e por meio disto, buscado refletir ações que viabilizem transformações pontuais na comunidade.”

Segundo a Professora de Geografia e Educação FísicaJanilda Rodrigues Barbosa de Sá: “trabalhar com atividades envolvendo audiovisual motiva mais o estudante a participar, contribuindo com um ensino e aprendizagem mais qualificada e motivadora. Com isso, o aluno ira assimilar melhor os conteúdos estudados, principalmente se envolver assuntos que diz respeito ao cotidiano do educando. ”

As alunas da Terceira Série do Ensino Médio da Escola, Manu Garcia, Ana Júlia Monteiro, LaylaHorrana, Etielly Alcântara, Maria Moraes e Carol Anacleto, relatam:

“Pra gente foi uma experiência boa e divertida, aprendemos coisas novas e absolvemos melhor o conteúdo, a participação no inspirou a pensar num projeto futuro”.

Durante a primeira etapa do Projeto na Escola foi produzido filme digital, longa-metragem, “Entre Montanhas” que aborda sobre o desenvolvimento da comunidade, memórias de como era o rio, a escola quando iniciou, tragédias que marcaram a história de Santa Luzia do Azul, o esporte, contadas pela comunidade. O filme participará da Mostra Olhares que acontece no dia 06 de julho de 2016, com apresentação na Sala de Cinema da Universidade Federal do Espírito Santo, o Cineclube Metrópoles. Promovendo um rico diálogo entre a Universidade e a Região Metropolitana com o interior.

Há uma previsão de em julho recebermos na comunidade de Santa Luzia do Azul, o Grupo Sama Jovem de São Mateus, com workshop de “dança de rua, grafite” e também realizarmos um Sarau de Poesia na comunidade, ambas atividades agregadas ao audiovisual e atividades do cineclube. E a partir da participação do Cineclube no V Encontro Estadual de Cineclubes, houve diversas presentes que manifestaram o desejo de vir a Água Doce do Norte e desenvolver ações comunitárias e culturais no Município.

Chama-se a atenção para este papel que a escola tem proporcionado por meio do projeto, de contribuir para formação da pro-atividade comunitária, em um cineclube, é a comunidade que se organiza para ter acesso a um direito seu, pois a cultura é um direito do cidadão e o acesso ao cinema é um direito cultural, segundo nos declara a Carta da Unesco pela Diversidade Cultural e a Carta dos Direitos do Público.

Durante a participação do Cineclube Olegário Martins no V Encontro Estadual de Cineclubes, ocorreu a eleição da Organização dos Cineclubes Capixabas, que neste Biênio, incluiu na Gestão a Diretoria de Articulação e Formação que tem a função de articular as regiões, criação de núcleos de difusão do cineclubismo nas Regiões, na chapa eleita denominada “Imagem e Ataque”, a região noroeste esteve presente, com coordenador do Cineclube Olegário Martins e Cineclube Eco Social, O Cineclubista Luciano Guimarães de Freitas.

O Movimento Cineclubista chega a um papel de amadurecimento, chegando a sua segunda gestão desde a sua criação, e com compromisso de avançar em sua organização. O encontro reuniu cerca de 30 cineclubes de diversas regiões do Estado.

A chapa eleita é composta por:

Presidência, Sáskia Sá

Vice Presidente, Milena Zaché

Secretário Geral, Diego Nunes

Segunda Secretária, Adriane Nunes

Tesoureira, Marcela Matos

Segunda Tesoureira, Camila Malacarne

Diretora de Comunicação, Lara Toledo e Guilherme Rabelo

Diretor de Acervo e Memória, Leonardo Almenara e Thais Rodrigues

Diretor Articulação e Formação, Luciano Guimarães de Freitas, Wilberth Silva

Diretoria de Práticas Cineclubistas na Educação, Tamyres Martins.