Por Ariele Rui e Juirana Nobres

Um vídeo enviado por um telespectador da TV Gazeta, que preferiu não se identificar, mostra um menino sentado para o lado de fora de uma janela do segundo andar de um prédio no Centro de Linhares, no Norte do Espírito Santo, por volta 14h desta sexta-feira (22). Inicialmente a informação era de que a criança tinha 2 anos de idade, mas o Conselho Tutelar informou que o menino tem 11 meses e vai fazer aniversário de um ano neste sábado (23).

Segundo vizinhos, a criança ficou sentada no local por cerca de 15 minutos até o resgate chegar. Ele e o irmão, de 2 anos e 11 meses, foram levados para o Conselho Tutelar da cidade.

O vendedor Tiago Camata trabalha na loja embaixo do apartamento viu a cena e arrombou a porta do apartamento.

“Eu procurei o mais rápido possível alguém que tivesse a chave da porta para abrir e então decidimos arrombar. Graças a Deus salvamos o menino”, contou Tiago.

No momento do incidente não havia adultos em casa.

O conselheiro tutelar Paulo Francisco Soares reforçou que deixar crianças sozinhas em casa caracteriza crime de abandono de incapaz.

“Nós vamos fazer a medida protetiva tendo em vista que não é a primeira vez que aconteceu no local. Na segunda-feira vamos passar a situação para a vara da infância e a Justiça vai decidir o futuro dessas crianças de forma definitiva’, disse.

A Polícia Militar informou que já está tomando os procedimentos necessários. O Conselho Tutelar aplicou uma medida protetiva e ouviu a mãe da criança durante a tarde desta sexta-feira.

Em seguida ela seria encaminhada à delegacia de Linhares onde vai prestar depoimento.

https://www.youtube.com/watch?v=wKq6iiYWF6E

Conselho Tutelar

Por volta de 20h40, o G1 conseguiu conversar com o conselheiro tutelar Paulo Francisco Soares. Ele disse que o menino de 11 meses foi entregue ao pai e o irmão, de 2 anos, a avó. Os meninos não são filhos do mesmo pai.

“Na segunda-feira, o pai da criança, que estava sentada na janela do prédio, vai pedir a guarda à Justiça. Depois do ocorrido, o menino foi entregue a ele depois de assinar um termo de responsabilidade”, explicou Paulo.

O conselheiro disse que a mãe das crianças trabalha no apartamento de um senhor como empregada doméstica e mora em uma kitinet nos fundos do prédio.

“Ela contou que deixou as crianças sozinhas para buscar fraldas em casa e se ausentou por 10 minutos”, disse.

Fonte: G1