IMG_9873-e1455758017606Apesar da incidência de chuvas no Estado no início do mês, a Agência Estadual de Recursos Hídricos (Agerh) manteve o cenário de alerta dos rios, previsto até esta quarta-feira (17), para mais 20 dias. Com isso, a restrição na captação de água continua para 15 municípios capixabas até o dia 08 março.

São eles: Marilândia, Aracruz, Governador Lindemberg, Serra, Barra de São Francisco, São Roque do Canaã, Santa Teresa, Vila Pavão, Ecoporanga, Alto Rio Novo, Itaguaçu, Itarana, São Mateus, Pancas e Mantenópolis.

Segundo a resolução 006, da Ager, prioriza o abastecimento a humanos e animais. Fica proibida a captação no período diurno, entre as 5 e 18h, para a indústria e agricultura, em todas as bacias hidrográficas.

Em alguns municípios, onde a situação é mais crítica (Barra de São Francisco, São Roque do Canaã, Santa Teresa, Aracruz e Governador Lindenberg) essa proibição se estende ao período noturno, ou seja, nesses mananciais a captação de água só é permitida para abastecimento humano e animal.

De acordo com Agerh, uma resolução definitiva, chamada “gatilho”, segue em desenvolvimento, com o objetivo de suspender as atuais regras e condições. Se as chuvas no mês de março forem condizentes ao esperado, a vazão dos rios pode aumentar e já em abril, o nível de alerta crítico passa para o nível de alerta atenção.
Vale lembrar que, independente da mudança no nível dos rios, a recomendação para economizar água continua. Os capixabas devem ficar atentos e evitar o desperdício.
Vazão dos rios

O boletim da AGERH, divulgado hoje, aponta a vazão atual do Rio Jucu em 13.801 litros por segundo. A média mensal é de pouco mais de trinta mil l/s. Já o Rio Santa Maria marca atualmente 5.282 litros por segundo, um pouco acima do nível considerado crítico, que são 3.816 l/s. Estes dois rios abastecem a região da Grande Vitória.

Previsão do tempo

Segundo o Incaper, março geralmente é marcado por chuvas ligadas às frentes semi-estacionárias. A média acumulada de precipitação para a estação fica acima dos 500 mm nas Regiões Noroeste, Serrana e Caparaó capixaba, entre 300 e 400 mm nas regiões litorâneas e entre 400 e 500 mm nas demais regiões.

As temperaturas máximas médias ficam em torno dos 28,0 ºC na região serrana e 32, 0 ºC nas demais regiões. As temperaturas mínimas médias ficam em torno dos 18,0 ºC na região serrana e 22,0 ºC nas demais regiões.

Já diminuição das chuvas durante o mês de fevereiro pode ser explicada, em parte, pela aproximação e intensificação do anticiclone subtropical, situação que dificulta a atuação dos sistemas meteorológicos causadores de chuva.

Saiba como economizar

1 – No Banho: Se molhe, feche o chuveiro, se ensaboe e depois abra para enxaguar. Não fique com o chuveiro aberto. O consumo cairá de 180 para 48 litros.

2 – Ao escovar os dentes: escove os dentes e enxague a boca com a água do copo. Economize 3 litros de água.

3 – Na descarga: Verifique se a válvula não está com defeito, aperte-a uma única vez e não jogue lixo e restos de comida no vaso sanitário.

4 – Na torneira: Uma torneira aberta gasta de 12 a 20 litros/minuto. Pingando, 46 litros/dia. Isto significa, 1.380 litros por mês. Feche bem as torneiras.

5 – Vazamentos: Um buraco de 2 milímetros no encanamento desperdiça cerca de 3 caixas d’água de mil litros.

6 – Na caixa d’água: Não a deixe transbordar e mantenha-a tampada.

7 – Na lavagem de louças: Lavar louças com a torneira aberta, o tempo todo, desperdiça até 105 litros. Ensaboe a louça com a torneira fechada e depois enxágüe tudo de uma vez. Na máquina de lavar são gastos 40 litros. Utilize-a somente quando estiver cheia.

8 – Regar jardins e plantas: No inverno, a rega pode ser feita dia sim, dia não, pela manhã ou à noite. Use mangueira com esguicho-revólver ou regador.

9 – Lavar carro: com uma mangueira gasta 600 litros de água. Só lave o carro uma vez por mês, com balde de 10 litros, para ensaboar e enxaguar. Para isso, use a água da sobra da máquina de lavar louça.

10 – Na limpeza de quintal e calçadas use vassoura: Se precisar utilize a água que sai do enxague da máquina de lavar.

Fonte: Uniagua