g_Portal-da-CidadeMoradores de Ecoporanga reclamam da falta de água. Desde a semana passada, o município passou a alternar o abastecimento, mas as torneiras de algumas casas continuam secas.

Resolveram dividir a cidade em dois lados, A e B. O meu bairro, Santa Mônica, seria o lado B. Mas na minha casa, começou a faltar água desde a segunda-feira passada e só chegou ontem (sexta-feira). Já na casa da minha patroa, que fica no Centro, não subiu nem ontem nem hoje”, reclamou a babá Vanderléia Meireles Mota.

A moradora disse que a água só chega em algumas partes da cidade. “Nos prédios e nos bairros mais altos, a água não chega. O Rio Dois de Setembro, que corta a cidade, está com o nível baixo, está até fedendo, os peixes estão morrendo”.

De acordo com Vanderléia, a situação não está pior porque um morador tem poço artesiano e está distribuindo água para o bairro Benedito Monteiro e Santa Mônica.

Por telefone, a assessoria de comunicação da Cesan confirmou que o abastecimento está sendo feito de forma alternada em Ecoporanga.

Em nota, também informou que, desde quarta (23), o rio apresentou diminuição na sua vazão e essa condição vem piorando, o que prejudica o abastecimento da população.

A Companhia está pegando água de poços e, em parceria com as prefeituras de Ecoporanga e Barra de São Francisco, reforçou o atendimento com 11 carros-pipa para abastecer as partes altas. Ainda não há previsão de normalização do abastecimento, diz a nota.