Reportagem de José Filho e Ronny Petterson

DSC02581

Após a ocorrência de um acidente na ES-164, no trecho Alonso da Rosa Pinheiro,(Latitude- S 18.85196° / Longitude O 41.14446° / Altitude 409 m) onde um veículo que estaria trafegando em sentido São Geraldo a Mantenópolis, o condutor foi surpreendido, ao final de uma curva, com uma protuberância acentuada no asfalto, que invade praticamente 70% da faixa sentido São Geraldo/Mantenópolis, vindo a capotar, despencando em seguida do acostamento morro abaixo, onde teve um princípio de incêndio na sequência, logo após ser contido por um tronco de mangueira que tem no local, e a cerca que permeia a propriedade do agricultor, sr. Izaltino, fatôres que foram cruciais para que o acidente tivesse sido uma tragédia.

peça-carro-a1Os moradores que presenciaram o fato se aproximaram para prestar socorro, mas o motorista, morador de Central de Minas MG não quis dar declarações de sua identidade e dispensou a presença da polícia ou atendimento médico, já que por sorte, e apesar da violência com que o veículo foi projetado para fora da pista, os danos ficaram restritos ao veículo, que foi severamente danificado, sendo removido e levado por pessoal especializado para Central de Minas.

caminhao-curvaEle porém relata que estaria vindo em velocidade normal permitida para este trecho, que é de 60 km/h, ocasião em que, por volta das nove horas da noite, exatamente após virar a curva, estaria vindo outro veículo em sentido contrário, coincidindo exatamente no ponto em que os motoristas se vêem obrigado a invadir a pista contrária para se desviar da anomalia na superfície, que teria sido feita em caráter provisório para contenção de danos causados pelo fluxo de águas pluviais, que estaria danificando as margens do asfalto, provocando erosão, mas que permanece inalterado desde que foi feito há mais de 1 ano.

DSC02584O motorista, relatando que seria a primeira vez que estaria percorrendo aquele trecho, declarou que não tinha conhecimento deste ponto propositalmente acidentado, e que não teve tempo e nem espaço suficiente para se desviar, pois por força da coincidência, no exato momento,outro veículo estaria trafegando em  sentido contrário no ponto onde teria ocasionado o impacto. Alega também que a sinalização móvel colocada no local, uma estaria caída, e a outra estaria com a seta apontando em sentido contrário ao desvio, provavelmente alteradas por pedestres vândalos que passaram pelo local.

DSC02589Em contato com o Detran-ES, tivemos que registrar um protocolo para atendimento, mas mesmo assim não tivemos êxito em busca de uma posição quanto ao fato, devido ao fato das respostas automatizadas.  O que o perigo e o risco  são iminentes e saltam aos olhos, de que outros acidentes, em proporções de maior gravidade possam vir a ocorrer, já que o ponto acidentado está em uma posição totalmente desfavorável para que o motorista tenha condições plenas de reflexo, e com aspectos de uma verdadeira emboscada , já que fica em um ponto cego de uma curva descendente e medianamente acentuada, com ângulo de curvatura de aproximadamente 70 graus.