IncêndioHá a suspeita de que o incêndio que atingiu o Parque Estadual de Itaúnas, no Espírito Santo, neste domingo (28), tenha sido criminoso, segundo o sargento Vilmar, do Corpo de Bombeiros. De acordo com ele, as características iniciais do incêndio não são compatíveis a uma causa acidental.

Um relatório para identificar o total da área afetada e os danos causados pelo fogo vai ser elaborado pelo Instituto Estadual de Meio Ambiente (Iema).

O estudo começa a ser feito após o encerramento do monitoramento no local e deve ser concluído em aproximadamente 30 dias, segundo o Iema.

O incêndio de grande proporção atingiu o parque neste domingo (28). O fogo foi visto por funcionários do parque no início da tarde, mas só foi controlado pelo Corpo de Bombeiros na madrugada desta segunda-feira (29).

Durante a noite, moradores de algumas casas chegaram a deixar as residências com medo do local ser atingido pelas chamas. Não há informações sobre feridos.


Segundo o sargento Vilmar, o local apontado como a região onde o fogo começou dá indícios de que o incêndio foi causado propositalmente. “Se o incêndio tivesse começado do lado de uma residência, provavelmente seria acidental. Mas, numa área isolada, próximo ao córrego e longe da comunidade, fica essa suspeita”, explicou.


Na manhã desta segunda-feira (29), o Iema começou a realizar o trabalho de rescaldo, que é o monitoramento da região e controle de pequenos focos para evitar que as chamas se propaguem novamente.


Segundo o Instituto, uma parte da área de alagado do parque foi atingida pelo fogo, além disso, as condições climáticas contribuíram para que as chamas se espalhassem rapidamente e se aproximassem da Vila de Itaúnas.

Não há registro de casas afetadas e nem de pessoas feridas e ainda não é possível estimar o total da área atingida na unidade.

Fonte: São Mateus Online