10384298_986041421414460_1466210875760510430_n-700x352O Presidente da Associação de moradores do Bairro Irmãos Fernandes, Mazinho do Hospital, juntamente com representantes de algumas entidades, igrejas, autoridades políticas, judiciário e moradores do bairro se reuniram na noite desta quarta-feira, 10 de setembro, para discutir sobre os trabalhos e compromissos da CESAN em Barra de São Francisco.

Entre as pautas, foram abordadas o transtorno causado pela localização do Pinicão, tratamento de esgoto, e o descumprimento de determinações contidas no texto da lei 118 do ano de 2001, que tratava da renovação da Concessão de prestação de serviço pela CESAN no município.

Segundo a lei que renovou a Concessão até o ano de 2026, a empresa teria 5 anos para cumprir as determinações,  o que até a presente data, perto de completar 13 anos,  não foi realizado em sua totalidade.

Outra reclamação dos presentes foi quanto o valor cobrado em conta referente a taxa de tratamento de esgoto, que hoje está em 80%. Hoje em Barra de São Francisco a grande maioria dos bairros não possuem o serviço, uma obra grande de esgotamento sanitário está sendo realizada no município, mas segundo informações, a mesma é uma parceria da FUNASA e Prefeitura Municipal, e não um investimento integral da CESAN. “Pagamos caro pelo esgoto para beber ele na torneira”, reclamou um morador do bairro.

A Companhia vem sendo constantemente criticada pelas suas ações e pela falta delas. No ano passado, a mesma efetuou cortes irregulares no fornecimento de água, e como um tipo de retalhação a Câmara de Vereadores aprovou uma lei que proíbe o corte do fornecimento em feriados, fins de semanas e suas vésperas.

Em maio de 2013, foram anunciados pela CESAN R$ 27 milhões de investimentos em Barra de São Francisco, Ecoporanga e Nova Venécia, a cidade francisquense ficou com um valor irrisório destes recursos, e este fato vem sendo abordado com frequência pelos vereadores do município, e após a reunião ocorrida nesta quarta-feira(10), foi reforçada a possibilidade de dar fim a Concessão da Companhia baseada em termos da própria lei aprovada em 2001.

Nos próximos dias um documento de notificação deve ser enviado à CESAN.