O período de seca já começa a dar os primeiros sinais em Mantena. No mês de abril, alguns focos de queimadas foram registrados no município, embora não se tenha um registro quantitativo das queimadas, podemos senti-las em nosso dia a dia.

Neste inicio do mês de maio, um foco de incêndio e queimada aconteceu no Bairro Boa Esperança, foi nesta segunda feira, (06/05), mas não é somente nas áreas urbanas que vem acontecendo as queimadas, na região muitas propriedade já tiveram os pastos atingidos e muitas vezes os proprietários reclamam que são atos criminosos. Caso isso venha acontecer é necessário ligar para o numero 190 e entrar em contato com a Polícia Ambiental e fazer a denuncia, que seu nome será mantido em sigilo.

Muitos são os efeitos das queimadas na saúde humana. Pesquisas realizadas indicam alguns dos efeitos que as queimadas desencadeiam na região: Drástica redução da visibilidade, fechamento de aeroportos e escolas, aumenta de acidentes de tráfego, aumento na incidência de doenças, diminuição da produtividade, restrição das atividades de lazer e de trabalho, efeitos psicológicos e custos econômicos.

SiteBarra+Barra+de+Sao+Francisco+fogo0

Dentre os sintomas de doenças e doenças observados relatam infecções do sistema respiratório superior, asma, conjuntivite, bronquite, irritação dos olhos e garganta, tosse, falta de ar, nariz entupido, vermelhidão e alergia na pele, e desordens cardiovasculares.

Algumas queimadas são feitas pelos próprios agricultores, embora que com as queimadas, o solo fica mais pobre e com o tempo esse agricultor pode ter problemas sérios para manter sua plantação. E ai vem os fertilizantes “da vida”. Primeiro, o agricultor queima o solo, empobrece este solo e depois vem com um “fortificante” para melhorar as condições que ele mesmo criou.

O fogo contribuiu nos últimos anos para destruir uma parte significativa do nosso patrimônio florestal e das nossas paisagens. Os incêndios têm na maior parte dos casos origem, criminosa ou não, na atuação do homem.

A acumulação de material lenhoso, o abandono de objetos (vidros, latas e outros objetos refletores) que podem originar a combustão dos resíduos por efeitos do sol, a utilização de ferramentas e máquinas, as fogueiras, as queimadas e os cigarros mal apagados, são algumas das causas involuntárias de muitos dos incêndios que destruíram milhares de hectares de floresta nos últimos anos.

Os prejuízos ambientais e econômicos e sociais chocam quem vive ou viaja pelo nosso País. Os prejuízos ambientais estão espelhados, de acordo com o Instituto Florestal “na erosão do solo, nos avanços das dunas, nas alterações climáticas, na regularização do escoamento das águas, nos assoreamentos, na diminuição da renovação do oxigênio do ar, no empobrecimento da diversidade da flora e da fauna e na destruição e alteração da paisagem”.

Os prejuízos econômicos e sociais que afetam os proprietários das numerosas pequenas explorações são a consequência direta da perda de produção de madeira e seus derivados, de frutos e produtos florestais, de postos de trabalho e da diminuição do valor das exportações florestais.