aprovados-874696Foi numa sala de cursinho pré-vestibular que um estivador e um eletricista descobriram que tinham em comum muito mais do que a origem humilde e o trabalho pesado: sonhavam em ser médicos. E o desejo de ambos realizou-se no dia 9 do mês passado, quando eles foram aprovados num dos cursos mais disputados da Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes).

Na próxima segunda-feira, o eletricista Vinicius Cunha Fagundes, 25, e o estivador Renan Borlot Soares, 22, vão fazer suas matrículas e ingressar na vida acadêmica, uma realidade, para eles, ainda é difícil de acreditar. “Acho que só no primeiro dia de aula vamos ter a certeza de que somos estudantes de Medicina”, brincam Renan e Vinicius.

Para o eletricista, foi preciso mais do que dedicação. Foi necessário superar até o preconceito dos colegas de trabalho. “Apontavam para os calos em minha mão e falavam: ‘Isso não é mão de médico, é de pião’”, lembra Vinicius, que é violinista autodidata. “Aprendi a tocar pela internet. Hoje, toco em minha igreja”, relata,

Seu amigo Renan atua no porto, trabalho braçal que muitas vezes o fez perder aulas. “Os colegas diziam que o trabalho noturno me ajudaria a enfrentar os plantões”, diz o jovem estivador, que pretende se casar em setembro.

 Os dois jovens, que residem na região de José de Anchieta, na Serra, estudaram em escolas públicas, conquistaram bolsa para um cursinho pré-vestibular particular em Vitória e foram aprovados pelo sistema de cotas.


O pai de Vinicius tem o ensino médio, e a mãe não chegou a completar o fundamental. Na casa de Renan, a situação é um pouco diferente: seu pai formou-se em História, na Ufes, e o irmão estuda Engenharia Mecânica, na mesma universidade.

Agora, Vinicius e Renan só pensam no futuro. “Vou dar aulas e trabalhar à noite, no porto”, conta Renan, acrescentando que pretende chegar ao doutorado. O colega decidiu abandonar a profissão de eletricista. Vai viver com suas economias e dar aulas para colegas ainda não aprovados no vestibular. “Acredito que posso mudar minha história na medida do meu esforço. Vou me dedicar a ser o melhor médico.”

Cotistas

Universo
40% dos aprovados no VestUfes 2013 eram cotistas

Renda
De um total de 1.581 pessoas, 874 declararam renda familiar igual ou inferior a 1,5 salário mínimo per capita, e 958 foram aprovadas pelas cotas raciais

Mudança
A seleção foi a primeira no novo sistema de cotas, que reserva 50% das vagas para quem fez o ensino médio na rede pública

Fonte: A Gazeta