O comércio varejista manteve a posição de maior setor do comércio no Espírito Santo, segundo divulgou, nesta quinta-feira (28), o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), por meio da Pesquisa Anual de Comércio (PAC) de 2010. A quantidade de unidades locais, pessoas ocupadas e os valores em massa salarial superam os atingidos pelo atacado. Já em relação à receita bruta, o comércio em atacado supera o varejista, gerando R$ 29,1 bilhões contra R$ 17,6 bilhões.

Entre 2008 e 2010, a variação da receita bruta do comércio de varejo atingiu os 30,8%, enquanto a taxa do atacado foi de 26,8%. No mesmo período, o crescimento do número de pessoas empregadas pelo varejo chegou a 23,4%, o que foi abaixo da média nacional – 25,7% -, mas acima da média da PAC das empresas do estado – 22,7%. O atacado fechou o triênio abaixo da média estadual, com variação de 21,8%.

Segundo IBGE, Agua Doce do Norte está entre as cidades campeãs de limpeza, no Norte do ES

No comércio de atacado, em 2010, 4.393 empresas geraram R$ 29,1 bilhões de receita bruta, 49,6% do total estimado. O segmento ocupou 34.089 pessoas e pagou R$ 603,9 milhões em salários e outras remunerações.

O comércio varejista reuniu 27.917 empresas em 2010, que geraram R$ 17,6 bilhões de receita operacional bruta. As empresas representaram 79,7% do comércio que atuou no Espírito Santo e ocuparam 166.399 pessoas. Além disso, o setor pagou R$ 1,5 bilhão em salários e outras remunerações.

Indústrias

A indústria capixaba gerou, em um ano, mais de 7 mil empregos, segundo divulgou o IBGE, por meio dos resultados da Pesquisa Anual de Comércio (PAC) de 2010. Segundo o instituto, em 2009, 123 mil pessoas trabalhavam nas indústrias do Espírito Santo e, em 2010, o número aumentou para 130 mil.