Mesmo com a chegada do fim do ano, as famílias se mostraram cautelosas em elevar seus níveis de consumo, como mostra o índice de Intenção de Consumo das Famílias (ICF), que registrou queda de 6,9%. O consumo das famílias da Grande Vitória mostrou sinais de cautela em dezembro. É o que mostrou o índice Intenção de Consumo das Famílias (ICF), calculado pela da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Espírito Santo (Fecomércio/ES), e que teve queda de 6,9% este mês, contra mês anterior.

De 136,1 pontos em novembro para 128,5 em dezembro.Apesar da queda, o índice se encontra no patamar otimista, considerando que o índice varia entre zero e 200, em que abaixo de 100 significa pessimismo e acima de 100 otimismo. Em relação ao mesmo mês do ano passado o índice de 2011 caiu 5,6%.

Para o presidente do Sistema Fecomércio, Jose Lino Sepulcri, mesmo com a queda, o resultado de dezembro do ICF se mantém no campo otimista, ainda que em um patamar inferior ao do ano passado. “Percebemos que a queda no otimismo e intenção de consumo dos capixabas foi puxada pelos componentes referentes a emprego atual, perspectiva profissional, nível de consumo atual, perspectiva de consumo e o momento para duráveis.

Apenas o acesso ao crédito e a renda atual apresentaram melhora na comparação com o mês passado”, explicou.“Mesmo com a chegada do fim do ano, período onde há uma elevação sazonal das compras, as famílias se mostraram cautelosas em elevar seus níveis de consumo.

Resultados que ainda refletem, sobretudo, o aumento do custo de vida com a aceleração da inflação, os impactos das medidas restritivas e do aperto monetário adotadas no início do ano. Esperamos que os reais efeitos das medidas monetárias e fiscais sejam sentidos principalmente a partir do segundo semestre de 2012.”, conclui o presidente da Fecomércio/ES.