O metabolismo é uma das principais explicações para aqueles casos que você muito provavelmente conhece. São pessoas que comem muito e não engordam, enquanto outras vivem testando novas dietas e ainda sim lutam para emagrecer.

Um metabolismo desregulado pode ajudar você a “guardar” mais gordurinhas. (Foto: iStock)

Para ajudar você a entender melhor o assunto – e a conseguir identificar o seu próprio tipo de metabolismo –, o Fortíssima conversou com duas especialistas. São elas Andressa Yaemori de Almeida é nutricionista clínica funcional, e Maria Fernanda Barca, endocrinologista e membro da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia (SBEM) e da Sociedade Europeia de Endocrinologia (SEE). Veja a seguir oito perguntas e respostas:

1 – O que é metabolismo?

É o conjunto de reações bioquímicas pelos quais acontecem os processos de síntese ou degradação das células. E, para que tudo funcione adequadamente, utilizamos a energia que recebemos por meio das calorias dos alimentos que ingerimos.

2 – Como posso diferenciar um metabolismo rápido de um metabolismo lento?

Existem algumas ferramentas utilizadas pelos especialistas, como o exame de bioimpedância, que aponta a Taxa Metabólica Basal (TMB). Ela serve para estimar a quantidade de calorias (energia) que seu corpo utiliza para realizar tais reações bioquímicas. Isso inclui respirar ou mesmo manter o coração batendo, por exemplo.

Quanto mais calorias utilizamos no processo, mais rápido o metabolismo está. Outra ferramenta é o rastreamento metabólico. Ele é capaz de avaliar se existe algum desequilíbrio nutricional que, de alguma forma, esteja influenciando o processo de forma negativa.

3- Consigo descobrir sozinho se o meu metabolismo está lento?

Sim. Existe uma fórmula bem simples para saber sua Taxa Metabólica Basal (TMB). Para isso, basta saber seu peso atual, idade, altura e fator de atividade, que está relacionada com a frequência de atividade física realizada. No entanto, existem algumas calculadoras na web que fazem essa conta por você. Contudo, é importante avaliar seu metabolismo com um especialista para compreender quais condutas deverão ser adotadas na tentativa de garantir que seu corpo volte a funcionar em perfeita harmonia.

4- É verdade que dá para “acelerar” o metabolismo com algum alimento?

Não. O que existe são os alimentos chamados “termogênicos”, que podem contribuir para o metabolismo por conterem compostos bioativos termogênicos. São eles pimenta vermelha, o gengibre e o café, por exemplo. Eles até estimulam o metabolismo, mas esse aumento na Taxa Metabólica Basal não faz nenhuma diferença significativa para o emagrecimento. Seria necessário comer uma quantidade realmente muito grande para conseguir acelerá-lo de forma constante sem fazer nenhum ajuste na dieta ou estilo de vida.

5 – Como posso melhorar o meu metabolismo?

Basicamente, é importante priorizar a alimentação saudável. Foque no consumo de alimentos como brócolis, couve-flor, couve, repolho, acelga, espinafre, escarola, nabo e rabanete. Eles são interessantes por ajudarem a reduzir os danos dos radicais livres no nosso organismo.

Também capriche na ingestão de água, fundamental para que todas as funções do metabolismo sejam desempenhadas com sucesso, e nos exercícios físicos, que ajudam a manter os músculos ativos.

6 – Existem alimentos que podem atrapalhar o metabolismo?

Em geral, os produtos processados estão no topo da lista. Mas, dentre eles, os que contêm açúcar, gorduras trans e/ou saturadas, alimentos congelados processados, produtos com baixo teor de fibra, como os farináceos refinados, refrigerantes, frituras e até mesmo o excesso de adoçantes artificiais são péssimas escolhas, pois ajudam a inflamar o organismo.

7 – O metabolismo fica mais lento com a idade?

Sim. Isso acontece devido a alterações de caráter hormonal, que começam a partir dos 25 anos. A tendência é que haja uma diminuição na musculatura, e um aumento do acúmulo de gordura, caso não ocorra qualquer mudança na dieta e no estilo de vida. Uma boa dica é passar a comer um pouco menos calorias a cada ano, além de evitar a preguiça na hora de fazer exercícios físicos. Se movimentar é muito importante para manter os músculos sadios.

8 – Tomar água com limão “acelera” o metabolismo? E café com óleo de coco no pré-treino?

Nenhum dos dois têm qualquer comprovação científica de que aceleram o gasto energético ou ajudam a queimar gordura. Apesar de o limão ser um ótimo alimento, mas não precisa ser tomado em jejum, pois sua ação alcalinizante será boa a qualquer hora do dia.

Já o café com óleo de coco não passa de um mito e tanto a Sbem (Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia), quanto a Abeso (Associação Brasileira para o Estudo da Obesidade e da Síndrome Metabólica) já se posicionaram contra a sua utilização por apresentar potenciais riscos para a saúde.