Caso irmãos carbonizados: Pastor acusado de falso testemunho se desliga de igreja

Imprimir
Compartilhar
Atualizado em 3 de julho de 2018
Diego Vinícius


Cinco dias após virar alvo do Ministério Público Estadual por suspeita de falso testemunho à Polícia Civil (PC), o pastor Abisaí Junior,  amigo do casal Juliana Sales e Georgeval Alves, anunciou no último domingo (1), sua saída da Igreja Batista Vida e Paz, que liderava em Conceição da Barra, no norte do Espírito Santo.

No vídeo, ele afirma que não confia mais no Ministério Batista Vida e Paz, que é o mesmo da igreja liderada por Georgeval em Linhares, antes da morte do filho e enteado.

“Hoje eu não faço mais parte do ministério Batista Vida e Paz e a razão é por não concordar com muita coisa e por não confiar mais no Ministério Batista Vida e Paz. Deus abençoe a todos e espero que todos entendam a minha posição e a razão de estar fazendo isso”, explicou no vídeo.

Falso testemunho

Ele teria dito, em depoimento à Polícia Civil de Linhares, que, após a morte dos irmãos Joaquim Alves Sales, de 3 anos, e Kauã Sales Butkovsky, de 6, Georgeval estava com os lábios queimados e pretos, com a ponta da orelha queimada e com os pés pretos e machucados.

Segundo informações obtidas pelo jornal online Folha Vitória, esse foi o motivo de o Ministério Público Estadual (MPES) ter pedido abertura de inquérito contra Abisai Júnior por falso testemunho.

Fonte: TV Vitória

Clique aqui e compartilhe com seus amigos do Facebook

Veja outras matérias sobre: Destaques, Polícia, Região,