Jovem brasileira dá à luz quíntuplos; dois bebês morrem após o parto

Imprimir
Compartilhar
Atualizado em 16 de Abril de 2017
Caroline S. Menezes


A técnica em enfermagem Carla Divina Faria de Oliveira, de 24 anos, deu à luz quíntuplos na madrugada deste sábado (15), na Maternidade Amparo, em Goiânia.

A gestação múltipla, que ocorreu de forma natural, chegou até a 23ª semana. Irmão da jovem, o almoxarife Anderson Carlos Oliveira de Faria, 27, disse que uma das quatro meninas morreu logo após o parto. O menino também não resistiu e morreu no fim da manhã. Já as outras três estão em Unidades de Terapia Intensiva (UTI) pediátricas.

“Os bebês nasceram muito pequenininhos, com cerca de 500 gramas cada, e uma das meninas não resistiu. Aqui no hospital não tinha vagas em UTIs, então duas meninas foram levadas para o Hospital Infantil de Campinas e a outra para a Maternidade Ela ”, explicou.

A família também buscava uma vaga de UTI para o menino, mas ele não resistiu e também morreu. Já Carla se recupera bem. “Ela está abalada em saber da morte de dois dos bebês, mas está com quadro estável”, disse a mãe da jovem, Cirlene Faria Tavares de Oliveira.

Segundo ela, a técnica em enfermagem estava internada desde a última segunda-feira (10), quando começou a sentir dores. “Ela estava em repouso absoluto para conseguir manter a gravidez por mais algumas semanas, mas três nasceram de parto normal. Aí foi necessária uma cesária para os outros. Infelizmente dois não resistiram e o estado das outras é bem delicado, mas elas estão bem na medida do possível”, afirmou Cirlene.

Gestação natural

Carla e o marido, o encanador industrial Luciano Gomes, de 39 anos, moram em Nerópolis, na Região Metropolitana de Goiânia. A gestação de quíntuplos ocorreu de forma natural pouco mais de um ano após perder filhos gêmeos logo após o parto.

De acordo com uma das teorias mais tradicionais para se calcular a probabilidade de nascimentos múltiplos, conhecida como “Lei de Hellin”, a chance de nascerem quíntuplos a partir de gestações naturais é de 1 a cada 65.610.000 de nascimentos.

Especialista em gravidez de alto risco, o obstetra Francisco Lobo, que acompanhou Carla, afirma que o caso é “raríssimo”. “Não conheço nenhuma gestação semelhante que tenha ocorrido assim, de forma natural. Normalmente até pode ocorrer em situações em que houve tratamento ou foi feita a inseminação artificial. Mas assim, naturalmente, nunca tinha ouvido falar antes”, disse.

Logo depois de descobrir que esperava quatro meninas e um menino, Carla revelou quais os nomes escolhidos: Allana, Emanuelly, Gabrielly, Giovanna e Arthur Lucas.

O pai das crianças também falou sobre a expectativa com o aumento da família e contou, com gargalhadas, como recebeu a notícia do sogro sobre os quíntuplos:

“Ele me ligou e ficou rodeando, disse que eu teria trabalho e precisaria trocar de carro. Pensei: ‘Será que são gêmeos de novo?’. Quando ele falou que eram quíntuplos, eu não acreditei. Tanto que, em segredo, levei minha esposa para fazer outro ultrassom e confirmar. Aí foi quando a ficha caiu”, lembra o encanador industrial.

Luciano também tem uma irmã gêmea e outro filho, de 1 ano, de um relacionamento anterior. Agora, depois que os outros cinco herdeiros nascerem, ele promete “fechar a fábrica”.

Fonte: G1

Clique aqui e compartilhe com seus amigos do Facebook

Veja outras matérias sobre: Brasil, Destaques, Geral,