Empresa vai investir R$ 10 milhões em fábrica e gerar 600 empregos no Norte do ES

Imprimir
Compartilhar
Atualizado em 4 de abril de 2017
Matheus Barbosa


A empresa Duro PVC, de Goiás, vai investir R$ 10 milhões em uma fábrica no distrito de Rio Quartel, em Linhares, na região Norte do Espírito Santo. A companhia, que fabrica tubos e forros em PVC e conexões, e atua em segmentos como irrigação, infraestrutura e construção civil, planeja começar a operar no estado ainda neste ano.

O diretor de operações, Leonardo de Brito Ferreira, contou que as obras já foram iniciadas e que a previsão é de que sejam concluídas até setembro.

O foco da unidade capixaba será na produção de itens voltados para a irrigação, além da fabricação de tubos e revestimentos para poços artesianos (revestimento geomecânico).

“Isso estamos preparando para a primeira etapa, que terá a operação iniciada até o final de 2017. Já na segunda fase, prevista para o final do ano que vem, vai haver uma linha de tubos de polietileno para gotejamento e microaspersão, muito utilizados na agricultura.”

Segundo o diretor, cada uma das fases irá criar 60 empregos diretos e outros 240 indiretos e a ideia é contratar mão de obra local. “Vamos precisar principalmente de profissionais de nível técnico, com formação, por exemplo, em eletrotécnica. Iremos selecionar os trabalhadores a partir de julho, que serão treinados por profissionais da nossa matriz, em Goiás.”

A fábrica ficará em uma área de 28 mil metros quadrados e terá capacidade de produzir na primeira fase, 350 toneladas por mês de tubos e revestimentos. Já no segundo momento, a produção irá dobrar, alcançando 700 toneladas mensais.

Ferreira destacou que a escolha pela instalação da planta em Linhares está relacionada à boa localização geográfica do município e à proximidade com as principais capitais do Brasil, além da oferta de incentivos fiscais por ser uma área da Sudene.

“É uma região que no raio de aproximadamente 600 quilômetros está dentro das grandes capitais, facilitando toda a logística necessária. Também levamos em conta o fato da cidade ter uma boa estrutura de formação de mão de obra técnica”, observou o diretor.

O prefeito de Linhares Guerino Zanon destacou que a atração de investimentos como esse é uma forma de superar a crise. “Sabemos que, se dermos oportunidades para as pessoas empreenderem, o município cresce. E há uma demanda grande de empresas que querem investir em Linhares. Estaremos mais agressivos para que o ambiente de negócios se desenvolva ainda mais. Sem prosperidade não há progresso”, ressaltou.

Planejamento

O investimento da fábrica no estado já está nos planos há cerca de cinco anos. Segundo Leonardo Ferreira, a empresa chegou a ter um centro de distribuição, também em Linhares, mas que foi fechado há poucos dias.

“Investimos de forma estratégica no centro de distribuição já pensando na prospecção de clientes e na aproximação com o mercado local. Agora, com a planta industrial, migramos o estoque para a unidade fabril.”

O diretor explicou que as obras começaram há cerca de um ano e meio, mas caminharam devagar por conta da crise. “Agora, estamos acreditando que a economia tende a se recuperar. Estamos otimistas de que vamos experimentar o crescimento do mercado, que até então estava estagnado e até mesmo ‘andando pra trás’. Por isso, vamos investir para estarmos preparados e com uma planta moderna. Aliás, essa alta tecnologia nos ajudará, inclusive, a ter um baixo custo operacional”, ponderou.

A planta no Espírito Santo será a terceira da companhia, que atua no mercado há 21 anos. Atualmente, a empresa processa cerca de 2.500 toneladas por mês de produtos de PVC e tem negócios em todo o Brasil.

Clique aqui e compartilhe com seus amigos do Facebook

Veja outras matérias sobre: Destaques, Em Alta, Empregos, finanças, Geral, Região,