Termômetro registra 59,6°C no asfalto das ruas de Colatina

Imprimir
Compartilhar
Atualizado em 11 de janeiro de 2017
Bruno V. J. de Jesus


Brunela Alves / A Gazeta

Uma medição feita com o termômetro infravermelho, pela reportagem, registrou, no Centro de Colatina, Noroeste do Espírito Santo, 59,6°C no asfalto, no período da tarde desta segunda-feira (9). A previsão do Incaper indicou que a temperatura poderia chegar aos 35°C.

Roupas mais leves e soltas, maiores cuidados com a hidratação e o aumento da ingestão de alimentos refrescantes têm sido as alternativas para driblar o calor e o sol forte no estado.

A agente de saúde Maria Aparecida Meireles, de 36 anos, e a filha Naiara Scalzer, de 10, optaram por se refrescarem com sorvete. “É uma opção de alimento gelado que ajuda a aliviar um pouco esse calor”, disse.

O agricultor Marlon Dalcamin, de 45 anos, disse que não abre mão de andar com uma garrafinha de água. “Só com água e procurando uma sombra é possível aguentar esse calor. Meu filho sempre pede sorvete ou milk shake”, falou.

Já a auxiliar de enfermagem Graça Bretas, de 59 anos, tem alguns truques. “Nesta época do ano, uso mais vestidos e roupas leves, passo protetor solar antes de sair de casa e tomo muita água o dia todo”, destacou.

Aumento nas vendas
As sorveterias da cidade também têm registrado um movimento maior por conta do calor. Comerciantes até contrataram alguns funcionários para dar conta da demanda que aumentou assim como as temperaturas.

O empresário Job Rocha Filho, de 26 anos, disse que precisou contratar cinco funcionários, porque as vendas na sorveteria aumentaram em cerca de 25%.

“Observamos que, a partir de dezembro, houve uma procura maior do nosso produto e precisamos contratar mais funcionários para atender os clientes. Estamos muito otimistas com o aumento das vendas e quanto mais calor, melhor”, afirmou.

O vendedor de água de coco e água mineral Deuclides de Almeida, de 47 anos, disse que o aumento das vendas tem sido registrado desde novembro e comemora. “Não tenho do que reclamar, estou vendendo bastante”, falou.

Outro empresário que também está contente com o aumento das vendas é Juliano Buzetti, de 37 anos. “A procura por açaí triplicou desde o início de dezembro e, principalmente, nos finais de semana. É um alimento leve e refrescante, que caiu nas graças do povo”, declarou.

Clique aqui e compartilhe com seus amigos do Facebook

Veja outras matérias sobre: Destaques, Geral, Região,