No ES, Sávio e Romário voltam a jogar juntos, pelo autismo

Imprimir
Compartilhar
Atualizado em 12 de dezembro de 2016
Gustavo F. G. Ribeiro


Por Wagner Chaló

O evento Gol Azul, partida que visa chamar a atenção das pessoas para o autismo, organizado pelo ex-jogador Sávio, chegou à sua terceira edição em 2016. Desta vez, um convidado especial abrilhantou ainda mais o jogo beneficente. Romário, que formou dupla com Sávio no Flamengo voltou a jogar ao lado do Anjo Loiro da Gávea após quase 20 anos da última partida dos dois juntos.

Com mais de mil gols na carreira o baixinho passou em branco na partida, mas marcou um golaço ao participar da festa, realizada no estádio Engenheiro Araripe, no Espírito Santo. Se na época do Fla, um jogava pelas pontas e o outro já era um artilheiro consagrado e campeão do mundo pela seleção brasileira, hoje, no entanto, foi exatamente o contrário. No primeiro gol da partida Sávio recebeu passe de Romário e venceu o goleiro Pierre. O capixaba falou sobre o reencontro e também da cornetada que levou após perder um gol feito.

Sávio e Romário voltam a jogar juntos após quase 20 anos (Foto: Wagner Chaló/GloboEsporte.com)Sávio e Romário voltam a jogar juntos após quase 20 anos (Foto: Wagner Chaló/GloboEsporte.com)

– Depois de quase vinte anos que nós atuamos pela última vez juntos, no Flamengo, eu tive alguns momentos com o Romário em outros eventos, mas dentro de campo foi a primeira vez desde então. E nada melhor do que estar aqui na minha casa, na Desportiva, relembrando essa dupla, essa parceria. O Romário pra mim foi um parceiro com quem eu aprendi muito, principalmente dentro de campo. Eu falei com ele antes do jogo, faz uma graça agora. Me consagra. Ele me deu outra bola que eu perdi o gol, aí ele virou pra mim e disse: não quer fazer mais gol não? (risos).

O baixinho foi direto ao lembrar os tempos de Flamengo. Ele se disse feliz em poder retribuir os gols que Sávio o ajudou a marcar pelo Rubro-Negro carioca.

– Realmente a gente jogou junto no Flamengo e, a maioria dos meus gols, na época que a gente jogou, saíram dos pés do Sávio. E poder estar aqui participando e poder retribuir, dentro de campo, com uma bola é uma satisfação – disse Romário.

Romário joga só um tempo e Sávio se emociona ao falar do evento

Romário jogou apenas um tempo da partida beneficente no Espírito Santo (Foto: Guilherme Ferrari/A Gazeta)Romário jogou apenas um tempo da partida beneficente no Espírito Santo (Foto: Guilherme Ferrari/A Gazeta)

O baixinho saiu no intervalo. Ovacionado pela torcida capixaba, Romário agradeceu o convite e disse que já luta pela causa das pessoas com deficiência há pelo menos dez anos.

– Quero agradecer o convite do Sávio. Essa é uma causa que eu abracei nos últimos dez anos da minha vida e sempre que eu for convidado para pode ajudar uma causa como essa eu estarei sempre presente. As pessoas com deficiência no Brasil são vistas um pouco diferentes da forma como tem que ser vistas, mas graças a Deus, existem pessoas como o Sávio que entendem que essas pessoas precisam de ajuda, todo tipo de ajuda – disse o baixinho, que saiu direto do vestiário para uma van, que o levaria para o aeroporto.

Embaixador do autismo no Espírito Santo, Sávio ficou visivelmente emocionado durante a entrevista após o jogo. Ele agradeceu aos jogadores, que não cobraram cachê para participar do evento. Elogiou o povo capixaba e se disse muito feliz em voltar à Desportiva Ferroviária, clube que o revelou para o futebol.

– Estou muito feliz, mesmo. Essa é a terceira edição e espero que venham muito mais edições. Lógico que aqui a gente está fazendo uma festa, um jogo de futebol, é uma causa. Claro que muitos aqui já estão aposentados. Nenhum dos jogadores aqui ganharam cachê para vir jogar, foi por livre e espontânea vontade, pelo projeto, pela causa. O Romário, por exemplo, recebeu um telefonema meu e prontamente deu a resposta positiva, que estaria no evento comigo. Eu agradeço muito o povo capixaba, agradeço quem compareceu e também quem não pôde vir por algum motivo. Mas todos que vieram aqui eu agradeço do fundo do meu coração. A causa aqui hoje não é só minha, nem da AMAES, mas de toda a sociedade. Nós temos a consciência do que é levar a palavra autismo para o Brasil e para o mundo e a inclusão social, principalmente. Eu estou muito feliz em voltar ao meu estado, em voltar à Desportiva Ferroviária, que foi a minha primeira casa. Falo isso muito emocionado mesmo – disse o anfitrião do evento.

A partida terminou empatada em 3 a 3. Marcaram os gols do Time Azul Sávio e o lutador capixaba Erick Silva (2). Pelo time Branco os gols foram de Vitor Rangel, jogador do Bahia e Marcelo Pelé, ex-jogador com passagens por vários clubes capixabas. Também foi realizada uma homenagem à Chapecoense, com uma bandeira com o escudo do time catarinense e uma mensagem de apoio.

Fonte: Globoesporte.com

Homenagem à Chapeconense (Foto: Wagner Chaló/GloboEsporte.com)Homenagem à Chapeconense (Foto: Wagner Chaló/GloboEsporte.com)

Clique aqui e compartilhe com seus amigos do Facebook

Veja outras matérias sobre: Destaques, Esportes, Região,